Banda desenhada

Duas mulheres no trio de candidatos ao Grand Prix d"Angoulême

Duas mulheres no trio de candidatos ao Grand Prix d"Angoulême

Pénélope Bagieu, Catherine Meurisse e Chris Ware são os finalistas.

Os finalistas do Grand Prix d"Angoulême já foram divulgados. A decisão do colégio eleitoral, composto pelos autores com obra publicada em França, recaiu sobre Pénélope Bagieu, Catherine Meurisse e Chris Ware.

Os dois últimos já faziam parte da lista final de 2020, quando o distinguido foi Emmnuel Guibert. Agora, os prognósticos, tal como as probabilidades, apontam para uma vitória feminina. O que, a acontecer, terá lugar apenas pela terceira vez, depois das vitórias da japonesa Rumiko Takahashi (2019) e da francesa Florence Cestac (2000)

Pénélope Bagieu, natural de Paris, onde nasceu em 1982, é a única com um livro editado em Portugal, "Destemidas", pela Levoir. Começou o seu percurso online, destacando-se mais tarde pela obra citada, uma coletânea de breves biografias de mulheres que se distinguiram a diversos níveis, que obteve grande sucesso comercial.

Catherine Meurisse nasceu em Niort, em 1980, e já venceu em Angoulême, na adolescência, no concurso que o festival promovia a nível escolar. Trabalhou maioritariamente para a imprensa, com cartoons e caricaturas, tendo integrado durante muitos anos a redação do "Charlie Hebdo". No dia do atentado contra aquele jornal satírico, salvou-se por ter acordado tarde. Em "La légèretée", narrou a sua experiência nesse dia e a culpa que sentiu durante meses por não ter estado presente com os colegas.

Quanto ao americano Chris Ware, nascido em Omaha, em 1967, está presente entre os finalistas pelo quarto ano consecutivo. As suas "Acme Novelty Library" distinguem-se pelo traço minimalista e pela incrível multiplicação de vinhetas por página, para contar histórias intimistas e quotidianas.

PUB

O vencedor será conhecido no dia 23 de junho, após apuramento de uma nova ronda de votação pelos autores.

O Festival International de la Bande Dessinée d"Angoulême costuma ter lugar todos os anos no último fim de semana de janeiro, naquela cidade francesa, mas este ano foi dividido em duas partes devido à covid-19, tendo na data original sido divulgadas as obras premiadas, durante uma cerimónia online. Uma segunda fase deveria ter lugar neste mês de junho, com exposições e feira do livro, mas a situação pandémica em França obrigou ao cancelamento.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG