Dança

Guimarães vai conhecer "May B", uma coreografia da atmosfera de Samuel Beckett

Guimarães vai conhecer "May B", uma coreografia da atmosfera de Samuel Beckett

Maguy Marin condensa todas as personagens do autor numa dezena de bailarinos.

Em 1981, Maguy Marin arriscou escrever uma carta a Samuel Beckett - conhecido pela relutância em deixar adaptar as suas obras -, a pedir-lhe autorização para trabalhar a partir dos seus textos. Inesperadamente, Beckett aprovou e acabou por convidar a coreógrafa para um encontro onde discutiram a abordagem. O resultado foi "May B", que nesta sexta-feira, às 21.30, se apresenta no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

Mais de 40 anos depois de ter sido criado, "May B" tornou-se numa obra-prima da dança contemporânea. A peça assenta nos textos e personagens de Beckett, mas sobretudo nas atmosferas da obra do dramaturgo irlandês. As únicas palavras que são ouvidas surgem logo na abertura: "Acabou. Está acabado. Isto vai acabar. Isto vai talvez acabar". Dai em diante, os dez bailarinos em palco são todas as personagens do universo de Beckett (não sendo nenhuma delas em particular).

"Então, devemos partir?"

Nos rostos cobertos de argila, no arrastar repetitivo dos movimentos, nos sons guturais e nos suspiros ritmados encontramos Clov cuidando de Hamm na sua cadeira de rodas de "Fim da partida" (1957), o cego Pozzo ou o mudo Lucky de "À espera de Godot" (1952).

"Vladimir: Então, devemos partir?"; "Estragon: Sim, vamos. Eles não se movem" são as últimas linhas do texto mais conhecido de Beckett. Os corpos que encontramos em "May B" também estão cansados do movimento contínuo, contudo, são incapazes de ficarem quietos.

Os bilhetes para assistir ao espetáculo "May B" estão disponíveis por 10 euros ou 7,50 euros nas bilheteiras físicas do CCVF, Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Casa da Memória e Loja Oficina.

PUB

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG