Imagens

Últimas

Webinar JN | C.M. V.N. Gaia -  Novos Caminhos para o Emprego

Conferências

Webinar JN | C.M. V.N. Gaia - Novos Caminhos para o Emprego

DIA 15 DE MARÇO, ASSISTA EM DIRETO EM JN.PT A nenhuma análise sobre as alterações introduzidas pela pandemia no mercado de emprego escapa a palavra da moda: teletrabalho. Logo se verá se num modelo híbrido (uma parte do tempo em casa, outra no trabalho), se sempre em casa, se apenas poucas horas no lar. Mas que o teletrabalho veio para ficar é certo. Que outras e novas formas de emprego surgirão no mercado de trabalho, no curto e médio prazos? É esta a questão a que queremos responder no webinar a realizar, a 15 de março, pelo JN em parceria com a Câmara de Vila Nova de Gaia.

Conferência JN | C.M. V.N. Gaia - Pandemia e Perspetivas de Futuro

Conferências

Conferência JN | C.M. V.N. Gaia - Pandemia e Perspetivas de Futuro

DIA 15 DE DEZEMBRO, ASSISTA EM DIRETO EM JN.PT Os dias carregados de cinzento que ensombram as nossas vidas tornam esta pergunta cada vez mais pertinente: o que podemos esperar do futuro pós-pandemia? É a chamada pergunta que vale um milhão de dólares, porque, na verdade, todos os prognósticos correm sério risco de errar. Em que é que vamos trabalhar? E de que forma vamos trabalhar? Há outras marés de microrganismos capazes de infernizar o nosso quotidiano? Como nos vamos deslocar? Poderemos voltar abraçar quem nos é querido sem receio? A recessão económica, de tão profunda e global, abalará as nossas fundações civilizacionais? De que parte(s) da nossa liberdade estamos dispostos a sacrificar, se tal for necessário para evitar novas pandemias? O(s) medo(s) que a Covid-19 injetou nas chamadas sociedades modernas talvez justifique(m) colocar a questão noutros termos: o que podemos e devemos fazer hoje, para termos um futuro mais luminoso? A conferência "Pandemia e Perspetivas de Futuro", que o Jornal de Notícias organiza em parceria com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, tentará responder a estas e (muitas) outras questões. Contaremos, para isso, com um painel de especialistas, todos capazes de, pelo menos, lançar alguma luz sobre um futuro que se adivinha difícil.

Conferência JN | C.M. Matosinhos - Cultura: e depois da crise?

Conferências

Conferência JN | C.M. Matosinhos - Cultura: e depois da crise?

DIA 10 DE DEZEMBRO, ASSISTA EM DIRETO EM JN.PT O consumo e o usufruto da Cultura faz de nós melhores cidadãos? Se a resposta for afirmativa, então a marca de água da importância do setor tem que residir no seu caráter indispensável para o cidadão, o que levanta o problema de saber quais são as políticas públicas que melhor servem a Cultura. Daí a importância das escolhas do Estado nesta matéria. A crise imposta pela pandemia confere nova força a este debate. Porque se para a Cultura, de acordo com os seus agentes, sobra sempre muito pouco do Orçamento do Estado, é expectável que sobre ainda menos em tempo de aperto nas contas. Que Cultura podemos, afinal, ter no pós-pandemia? A crise pode ser uma oportunidade? Ou este mantra não faz sentido?

Conferência JN | C.M. Gondomar - Mobilidade no Grande Porto: respostas conjuntas para um problema de

Conferências

Conferência JN | C.M. Gondomar - Mobilidade no Grande Porto: respostas conjuntas para um problema de todos

DIA 27 DE NOVEMBRO, ASSISTA EM DIRETO EM JN.PT A mobilidade é, mesmo em contexto pandémico, um dos maiores desafios com que se deparam os grandes aglomerados urbanos. Chegar do ponto A ao ponto B não é um exercício simples, sobretudo porque há cidades, como o Porto, que recebem populações da periferia e influenciam, por via desse efeito agregador, os movimentos pendulares dos concelhos vizinhos. O caso de Gondomar é paradigmático: sendo um dos territórios mais populosos da Área Metropolitana, é confrontado diariamente com essa pendularidade. Discutir a mobilidade em determinado concelho é, por isso, discutir a mobilidade numa região habitada por mais de um milhão pessoas. Por isso é necessário que, sendo este um problema de todos, possam ser dadas respostas conjuntas. De como o metro mudou a forma como viajamos na região, de como a expansão da rede pode aligeirar a pressão rodoviária, passando pela excessiva dependência que ainda mantemos dos carros, no âmbito da qual se destaca um nó eternamente por desatar chamado VCI. Mas não apenas: nesta conferência, tentaremos perceber também de que forma podem as novas plataformas móveis, como a UBER, contribuir para uma mudança do paradigma. Conseguiríamos viver sem carros? De que forma é que os avultados investimentos previstos nos transportes para a próxima década podem alterar a forma como nos movemos nesta enorme coroa urbana? Os problemas são de todos. As respostas têm, por isso, de ser comuns.

Conferência JN | C.M. Matosinhos - Inovação Social: novas soluções para novos problemas

Conferências

Conferência JN | C.M. Matosinhos - Inovação Social: novas soluções para novos problemas

ASSISTA EM DIRETO EM JN.PT O combate à pandemia levantou uma longa série de novos problemas sociais. Para os quais será necessário encontrar novas e estruturais soluções, sobretudo para podermos ajudar os que mais sofreram. A criatividade e a capacidade empreendedora dos indivíduos e das instituições tem pela frente um desafio gigante, na exata medida em que a atual crise, de largo espetro, veio destapar problemas importantes que estavam negligenciados. Que papel devem ter a inovação e o empreendedorismo social na criação de soluções geradoras de valor para a sociedade? Quais são as áreas a que o mercado não chega, mas que têm que ser alvo de transformações sustentadas e sustentáveis? A estas e a outras questões que procuraremos dar resposta no webinar "Inovação Social: novas soluções para novos problemas".

Conferência JN | V.N. de Gaia - Transparência e Burocracia

Conferências

Conferência JN | V.N. de Gaia - Transparência e Burocracia

ASSISTA EM DIRETO EM JN.PT Talvez nunca como hoje o debate sobre a transparência e a burocracia tenha ganho tanta expressão em Portugal. O efeito cumulativo de uma crise na Justiça - motivada, desde logo, pela Operação Lex - com a anunciada chegada de muitos milhões de euros provenientes da União Europeia - cujo destino muito temem estar previamente determinado - criou um efervescente caldo de discussão. Trata-se, apenas, de mais um episódio da série "A culpa é deles", sendo "eles" a entidade abstrata a que os portugueses recorrem em abundância para justificar o estado das coisas? Estamos perante um mero problema de perceção do sistema judicial? Ou o que se está a passar na Justiça denuncia um ponto de não retorno? O receio de que os fundos comunitários vão para os bolsos errados é sinónimo de inveja? Ou o que se passou no passado aconselha, mesmo, freios e cautelas? A burocracia é, para quem quer andar para a frente, o "bicho papão" que tudo trava e atrasa? Queremos perceber se é tempo de os sinos tocarem a rebate, o que nos obriga a repensar tudo. Ou se, como diz o povo, lá no fundo são "mais as vozes do que as nozes".