Rali de Portugal

Sébastien Loeb voa para o topo em Arganil

Sébastien Loeb voa para o topo em Arganil

Elfyn Evans esteve em grande na primeira manhã do Rali de Portugal de 2022, vencendo duas das três primeiras especiais em terra batida desta sexta-feira, mas quem acabou com mais razões para sorrir foi Sébastien Loeb, que mostrou, em Arganil, o porquê de ser nove vezes campeão do Mundo e comanda a prova com 0,5 segundos de vantagem sobre o piloto galês.

Evans venceu a prova portuguesa em 2021 e, pelo exemplo da manhã desta sexta-feira, o piloto do Toyota Yaris GR Rally 1 é um sério candidato a repetir a proeza, sobretudo tendo em conta o que aconteceu na Lousã, logo a abrir o dia.

O galês foi o nono a sair para o troço e aproveitou da melhor forma a posição - os pisos de terra batida prejudicam muito quem abre a estrada, embora este ano não se tenha notado tanto essa tendência -, batendo Gus Greensmith por uns enormes 6.1 segundos.

"Foi só uma passagem limpa, nada de louco. Mas está tudo a funcionar bastante bem", resumiu Evans no final da PEC2, antes de atacar a primeira passagem por Góis, onde os tempos foram bem mais renhidos.

Ainda assim, Evans voltou a ser o melhor, batendo Ott Tanak (Hyundai) por apenas um décimo de segundo e Takamoto Katsuta (Toyota) e Kalle Rovanpera (Toyota) por 0.2 segundos. Entre os favoritos, Thierry Neuville (Hyundai) foi quem se deu pior em Góis, perdendo 5.1 segundos em relação a Evans.

A manhã fechou com a primeira passagem do dia pela histórica classificativa de Arganil e foi tempo de rever o melhor Loeb em ação. Agora ao volante de um Ford Puma Rally 1, o piloto francês bateu Thierry Neuville por 2.8 segundos e Rovanpera por 6.1. Sébastien Ogier foi o quarto mais rápido e Evans acabou em quinto, mas os 10.6 segundos que perdeu para Loeb foram suficientes para mudar a história da manhã.

Loeb lidera com uma vantagem mínima (0.5 segundos) sobre Evans, enquanto Neuville ficou a 3.3 segundos do topo e Tanak é quarto, precisamente com a mesma desvantagem em relação ao topo (5.7 segundos) que Rovanpera, que conseguiu minimizar as perdas previstas por abrir a estrada como líder do campeonato.

PUB

Agora, os pilotos enfrentam as segundas passagens por Lousã, Góis e Arganil, atacando depois os 18,15 quilómetros de Mortágua antes de terminaram o primeiro dia completo do Rali de Portugal na Superespecial de Lousada.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG