Lançamento

Novo Toyota Aygo Cross quer ser o rei da cidade

Novo Toyota Aygo Cross quer ser o rei da cidade

A Toyota não abdica de estar presente no segmento inferior do mercado e acaba de lançar o Aygo X (deve ler-se Cross) um inovador crossover, que foi apresentado e já está disponível nos concessionários. Com uma motorização, duas opções de caixa de velocidades, quatro versões e oito cores, o novo modelo nipónico tem os condimentos certos para ser um sucesso de vendas.

Gengibre, chili, cardomomo e zimbro dão nome às novas cores do Aygo, sempre conjugadas com o preto no tejadilho, traseira e guarda-lamas. Um lote de especiarias que, misturadas com o eficiente motor de três cilindros, 1.0 litros, 72 cavalos e caixa de cinco velocidades (uma nova transmissão S-CVT está disponível em Portugal apenas na versão X-Play Plus), permitem ao pequeno Aygo (3,67 metros de comprimento, por 1,74 m de largura e 1,54 de altura) consumos reduzidos.

Durante a apresentação, que contemplou um percurso citadino pelo Porto e Matosinhos (Leça do Balio) em plena hora de ponta, conseguimos 5,7 l/100km, ao passo que, no segundo dia, o trajeto misturou cidade com autoestrada, tendo o consumo baixado para 5,1 l/100km.

Mas é em cidade que este Aygo Cross está como peixe na água, não só pelas suas dimensões contidas que, mesmo assim permitem transportar quatro pessoas, como pelo seu raio de viragem, de 4,7 metros, que fazem "milagres" no caótico trânsito citadino.

Com uma estética refrescante e apelativa, o novo Toyota destaca-se no cinzentismo que ainda reina nas nossas estradas e fez virar cabeças por onde passamos. Saltam à vista a distância ao solo elevada, as cavas das rodas quadradas, guarda-lamas vincado, proteções dianteiras e traseiras e jantes de 17 ou 18 polegadas. Ainda neste capítulo, destaque-se a versão com teto de lona, que transforma o Aygo num pequeno descapotável.

O acesso aos bancos traseiros não é dos melhores e passageiros um pouco mais altos não viajarão à larga. A bagageira tem uma capacidade de 231 litros, podendo chegar aos 829 litros com os bancos traseiros rebatidos.

No interior, não podemos deixar passar em claro a boa qualidade dos materiais e da sua montagem, bem como o design interior e os apontamentos de cor, que se estendem aos bancos.

PUB

Por outro lado, os 72 cavalos são um pouco curtos mesmo para mover os 940 quilos do Aygo e para chegar dos 0 aos 100 km/h são necessários 14,9 segundos, com a velocidade máxima a atingir os 158 km/h.

Equipamento de segurança

Duas áreas onde o Aygo satisfaz plenamente é no equipamento e na segurança, sendo certo que se o primeiro varia de acordo com a versão escolhida, a segunda não é opção na Toyota.

Todas as versões dispõem do Toyota Safety Sense, que combina uma câmara monocular e um radar de ondas milimétricas para dispor de Sistema de Pré-Colisão (PCS), deteção de peões de dia e de noite, de ciclistas durante o dia, Controlo de Velocidade de Cruzeiro Adaptativo Inteligente, Assistência de Condução Inteligente (LTA), Reconhecimento de Sinais de Trânsito (RSA), Luzes de Máximos com Controlo Automático (AHB).

A iluminação LED está também a ser introduzida no novo Toyota, com as luzes de circulação diurna e piscas a serem assegurados por dois perfis de luz rodeados por uma luz subtil.

Conetividade

Os clientes poderão permanecer ligados ao seu Aygo através da aplicação Toyota Smart Connect e MyT no seu smartphone e todas as funcionalidades estão centradas num ecrã tátil de 9 polegadas. Com a aplicação MyT, os clientes podem receber dicas de condução, avisos do carro e ver o nível do combustível, entre outros.

O mais recente sistema multimédia da marca japonesa oferece navegação baseada na nuvem para fornecer informações de rotas e informação de trânsito.

Novos serviços serão introduzidos ao longo do tempo através de atualizações remotas, pelo que o novo software e os serviços conectados serão atualizados automaticamente. O Toyota Smart Connect também oferece conectividade com e sem fios via smartphone através do Android Auto e Apple CarPlay.

O Aygo foi projetado na Bélgica, desenhado em Nice (França), o motor sai da fábrica polaca de Jelcz-Laskowice e o modelo é produzido em Kolin, na República Checa, uma fábrica que também pertencia ao grupo PSA (atual Stellantis), que ali produzia o Citroen C1 e o Peugeot 108.

A gama disponível em Portugal começa no Aygo X Play (jantes em aço de 17 polegadas, ar condicionado manual e ecrã multimédia de 7 polegadas, entre outro equipamento), que custa 16.490 euros, seguindo-se a Pulse (que tem jantes de liga leve de 17 polegadas e acresce luzes de circulação diurna em LED, ecrã de 8 polegadas e transmissão manual ou CVT, entre outros itens), que custa 17.370 e 18.520 euros (CVT), a Envy (jantes de liga leve de 18 polegadas, tejadilho em lona, ar condicionado automático, bancos em pele parcial, ecrã de 9 polegadas, navegação e sensores de estacionamento, entre outro equipamento), com o preço de 20.600 euros, e o Aygo X Limited, uma edição que apenas será vendida durante seis meses, exclusivamente em verde cardomomo (bancos dianteiros aquecidos e tejadilho Night Sky), por 20.780 euros.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG