Arte

Presépio feito de lixo volta a encantar Mértola

Presépio feito de lixo volta a encantar Mértola

"Do lixo faço arte" é o título do presépio inaugurado na tarde desta quarta-feira, em Mértola, da autoria do autodidata António Costa e que pode ser visto até ao próximo dia 6 de janeiro. A obra é dedicada ao filho Ricardo que morreu atropelado no dia 19 de novembro de 2020.

A exposição está patente na Tenda Multiusos, com uma área de 250 metros quadrados, transformada num espaço circulante cheio de magia e encanto, composto por 53 imagens em tamanho real. O Menino Jesus, José e Maria, os três Reis Magos, os anjos, os pastores e os seus rebanhos, os templos, imperadores, soldados romanos e as gentes do povo fazem deste presépio uma viagem única e original pela quadra natalícia.

Todas as figuras e cenários são feitos com materiais recicláveis, como tecidos, papel e objetos cerâmicos que António Costa vai recolhendo junto dos contentores do lixo ou nas lixeiras. Para dar vida às personagens, o artista recicla motores de eletrodomésticos. O presépio foi batizado de "do lixo faço arte".

A ideia de construir a cena mais icónica do Natal nasceu em 2001 quando numa viagem da autarquia visitou o Vaticano e viu um presépio que nunca mais lhe saiu da memória. Em 2014, António Costa, pedreiro e calceteiro da Câmara Municipal, expôs pela primeira vez a obra na rua em Moreanes, concelho de Mértola. Só no ano passado, devido à pandemia, é que o presépio não foi construído.

No ano de estreia, o presépio teve sete figuras, em 2015 a cifra aumentou para trinta e em 2019 teve 46 imagens, para este ano ultrapassar a barreira da meia centena. A primeira edição em espaço fechado ocorreu em 2016.

A inauguração decorreu sob uma forte emoção, tendo em conta a morte do único filho de António, Ricardo de 18 anos, em meados de novembro do ano passado, atropelado por um automóvel. Visivelmente emocionado e não contendo as lágrimas, o artista dedicou a arte ao filho. "Foi em ti que encontrei a força e coragem para seguir em frente. Onde estás, sei que sentes orgulho do pai", confessou ainda.

O presidente da Câmara de Mértola considerou que "esta é uma obra feita com grande carinho que já ultrapassou as fronteiras da vila e do concelho". O presépio "Do lixo faço arte" pode ser visitado todos os dias até 6 de janeiro, das 9 às 13 horas e das 14 às 19 horas, as entradas são gratuitas.

PUB

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG