Vinhais

Municípios juntam-se para resgatar a cultura tradicional e criar Festival Simbiose

Municípios juntam-se para resgatar a cultura tradicional e criar Festival Simbiose

Os Municípios de Vinhais, Macedo de Cavaleiros e Miranda do Douro juntaram-se para realizar em conjunto o "Festival Simbiose", uma iniciativa que agrega várias artes e que criará um espetáculo-percurso a apresentar nos palcos dos três concelhos entre 27 de maio e 7 de julho.

Apoiado pelo Programa Norte 2020, o Festival Simbiose é resultado de uma abordagem inovadora, que tem por base a coprodução e itinerância de espetáculos focados em elementos identitários de Trás-os-Montes.

"É a primeira candidatura em rede. Vinhais convidou os outros dois municípios a serem parceiros para ​​​​​​organizar o festival e promover o território, através da cultura e dinamizando as associações locais", explicou Artur Marques, vereador da Câmara Municipal de Vinhais.

O festival mobiliza dezenas de associações culturais e recreativas dos três concelhos, muitas das quais participam com a realização de recolhas de canções, lendas, danças e outras tradições.

A candidatura permite um financiamento de 75 mil euros por cada município, para montar uma iniciativa que junta teatro, música, património cultural e tradições. "É um festival audaz e ambicioso, que tem tudo para correr bem", acrescentou Artur Marques.

A organização envolve a comunidade, através da participação de grupos culturais locais, para explorar uma relação de simbiose entre o ​​​​​​património transmontano e diferentes quadrantes das artes performativas.

Graça Afonso, uma antiga professora primária, com 80 anos, uma as referências da cultura popular de Agrochão, freguesia do concelho de Vinhais, explicou ao "Jornal de Notícias" que tem em sua posse centenas de canções e danças que recolheu ao longo da vida, mas muitas ainda não passaram para nenhum suporte e estão apenas na sua memória.

PUB

"Os meus pais cantavam e aprendi e enquanto professora fui fazendo recolhas nas aldeias onde lecionei. Só um músico já gravou 150 canções das minhas, mas tenho muitas mais, bem como danças", explicou Graça Afonso que teme que muito do património imaterial que está apenas guardado na sua memória se perca para sempre. "Era bom que alguém registasse aquilo que eu sei. O meu medo é que se perca. Nem os meus filhos sabem" acrescentou.

O "Festival Simbiose" mobiliza elementos culturais únicos da região (como as máscaras e caretos, os cantares e rituais, os bombos, os gaiteiros, os pauliteiros, entre outros), contribuindo para a preservação deste importante património através da sua transposição para um contexto contemporâneo.

As criações artísticas que serão apresentadas têm uma forte relação com o policromado território transmontano, numa combinação da Terra Fria, da Terra Quente e do Planalto e das áreas protegidas de Montesinho, da Albufeira do Azibo e do Douro Internacional.

As principais criações do Festival, com as designações Nordeste e Folia, serão coproduzidas pela Circolando e pela Ondamarela, estruturas com elevada experiência e reconhecimento no universo cultural português.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG