Exclusivo

Ruído das autoestradas não dá descanso a Matosinhos

Ruído das autoestradas não dá descanso a Matosinhos

Ruído das grandes vias rodoviárias afeta interior do concelho. Câmara já criou plano de mitigação que, até 2023, reduzirá barulho.

É no interior de um concelho como Matosinhos rasgado por vias rápidas e autoestradas que os dias se tornam verdadeiramente ensurdecedores. O cenário intensifica-se nas freguesias de Leça do Balio, Perafita, Leça da Palmeira e S. Mamede de Infesta, as mais prejudicadas pela proximidade às grandes infraestruturas. É lá que mais pessoas estão expostas a níveis sonoros que "excedem os valores limite aplicáveis", diz o Relatório do Estado do Ambiente Acústico Municipal. A Câmara já criou um plano e prevê, até 2023, reduzir o ruído entre 14% a 16%.

Além da A28, A41, EN14, A3, A4 e VRI, apontadas como as principais culpadas pelo ruído, independentemente da altura do dia, há também 11 ruas identificadas pela Câmara, também prejudicadas pelo tráfego rodoviário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG