Tensão

Grécia denuncia 126 violações do espaço aéreo pelas forças turcas

Grécia denuncia 126 violações do espaço aéreo pelas forças turcas

O governo da Grécia decidiu suspender a estratégia de reatar as relações de confiança com a Turquia, depois de denunciar 126 violações do seu espaço aéreo por forças turcas.

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, considerou como "inaceitáveis" as operações turcas no espaço aéreo helénico, declarando que este tipo de comportamento "mina a segurança europeia" e que a atitude da Turquia "não ficará sem resposta".

O porta-voz do executivo grego, Iannis Ikonomu, acrescentou que as provocações turcas "não estão de forma alguma alinhadas com o espírito e o conteúdo da recente reunião do primeiro-ministro com o presidente turco [Recep Tayyip Erdogan]".

Na quarta-feira, foram registados 126 voos no espaço aéreo grego - o mais elevado número até agora num único dia - por caças e aviões não tripulados (drones), que sobrevoaram 30 ilhas gregas, algumas delas habitadas.

"As ações da Turquia criam um clima de tensão particular na região (...) e mina a coesão da NATO num momento particularmente crítico na região", pode ler-se num comunicado divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Grécia, que anunciou o congelamento das medidas para restaurar as relações entre os dois países.

Grécia e Turquia, dois Estados-membros da NATO, atravessam uma fase de relacionamento tenso, com Atenas a acusar Ancara de promover a exploração de energia em águas territoriais gregas no Mediterrâneo oriental.

Os caças turcos costumam realizar manobras durante a semana da Páscoa, mas têm por regra suspender as ações antes do domingo de Páscoa, algo que não aconteceu este ano.

PUB

Nos últimos anos, a Grécia já censurou a Turquia por comportamento semelhante por violações de seu espaço aéreo em várias ocasiões no mar Egeu, que o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, descreve como "áreas cinzentas".

O primeiro-ministro grego já disse que informou o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, destas "novas provocações" da Turquia.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG