Opinião

#big

Entrei no café quando o televisor tinha o som absurdamente alto. Dois homens discutiam. Um falava em caca (traduzi), outro chamava-lhe boi. Reconheci o programa e os protagonistas da contenda. Um é o ator Nuno Homem de Sá e o outro um antigo futebolista que agora fala de famosos chamado Gonçalo Quinaz. Nas mesas, havia quem desse gargalhadas. E quem abanasse a cabeça num gesto de reprovação. O televisor emitia os gritos de colegas no programa, o "Big Brother", galinha dos ovos de ouro da TVI. Os homens da discórdia dividiam apoios no café. Reparei em três crianças sentadas junto a adultos. Só uma olhava para a cena. Ao lado, uma mulher afiançava: "Dava-lhe no focinho". A criança riu. "Os bois têm focinho?", perguntou. Como ninguém respondeu, levará, com certeza, a pergunta para a escola. É a chamada "big" educação.

*Jornalista

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG