Televisão

"Big Brother" com desistências recorde. Ex-participante tem explicação

"Big Brother" com desistências recorde. Ex-participante tem explicação

Uma autêntica "sangria" de concorrentes. Tem sido assim a primeira semana do "Big Brother - A Revolução", agora com Teresa Guilherme ao leme. Ainda nem passou uma semana desde o início do "reality show" da TVI e já dois concorrentes desistiram, algo incomum nos 20 anos que o programa já leva e que se assinalam este ano.

Luís saiu na passada quinta-feira da mansão da Ericeira na sequência de um problema de saúde ao qual não serão alheias as constantes discussões com o concorrente André FIlipe. Este último foi muito criticado nas redes sociais e o assunto virou "trend topic" no Twitter. A TVI justificou o abandono do formato por parte do professor com motivos de saúde e a apresentadora do "Extra", Maria Botelho Moniz, garantiu que Luís saiu "bem", "tranquilo" e que foi acompanhado "pela produção".

Igualmente surpreendente foi, no sábado, o abandono de Bruno. Segundo a estação de Queluz, o rapaz de Espinho "manifestou de madrugada a vontade de sair do jogo". "O "Big Brother" ouviu as suas razões e tentou dissuadi-lo, mas no final respeitou a decisão de sair da casa da Ericeira. A TVI e a Endemol desejam um futuro brilhante ao Bruno", pode ler-se num comunicado.

Psicóloga em silêncio

Contactadas pelo JN, a psicóloga Teresa Paula Marques e a comentadora da TVI Marta Cardoso recusaram comentar as desistências - a primeira, por "já não fazer parte dos comentadores"; a segunda, por "estar de folga e não querer especular". Mas Nando, o vencedor do "Big Brother 4", não se lembra de "duas desistências tão cedo".

"O Luís parece-me que desistiu por possíveis problemas psicológicos. Com certeza a produção ligou à família e percebeu que ele não estava bem", começa por dizer o algarvio ao JN. "No caso do Bruno, parece-me que ele já estava farto de estar fechado naquele "bunker", naquela salinha pequena na qual estão escondidos e que chamam de sala de comando. Na mansão em si é giro de estar, mas, se calhar, naquele espaço ele sentia-se claustrofóbico", acentua Nando.

O vencedor do "BB4" alerta que, em 20 anos de "reality shows", os concorrentes "já deviam estar preparados para o que iam". "No meu tempo a casa não era tão grande, era de madeira e acordávamos de madrugada. Hoje, eles dormem até às dez! A produção é amiga, mas eles já deviam saber que estão ali para criar atritos. Eu, em quatro meses, nunca me passou pela cabeça sair. Nós não vamos para um hotel, vamos para um jogo onde há enorme competição, também ao nível psicológico", remata Nando.

PUB

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG