Publicidade

Influenciadores aconselhados a não usar filtros enganadores nas redes

Influenciadores aconselhados a não usar filtros enganadores nas redes

Os filtros fotográficos não devem ser aplicados a anúncios nos meios de comunicação social se exagerarem o efeito do produto, determinou a "Advertising Standards Authority" - a agência que regula a Publicidade no Reino Unido.

Para sensibilizar para os perigos desta utilização excessiva, a agência lançou a campanha #filterdrop (acabar com os filtros, em tradução livre), que pede que os influenciadores digitais declarem quando usam um filtro de beleza para promover cuidados com a pele ou cosméticos. A "Advertising Standards Authority" teme que o conteúdo de beleza filtrado seja deturpado da realidade.

Sasha Pallari, que iniciou a campanha, disse que estava "nas nuvens" com a adesão. Com 29 anos, iniciou esta campanha em julho do ano passado, na esperança de fazer com que influenciadores mostrassem "mais como realmente são, com a pele que têm, sem filtros".

O uso de filtros nas redes sociais é um assunto amplamente debatido, atraindo a atenção não só de celebridades e influenciadores, mas também dos deputados britânicos. A agência que regula a publicidade britânica defende que mesmo que o nome do filtro seja mencionado na história do Instagram, o conteúdo de beleza filtrado pode ser enganador.

A proposta é que anúncios que violem essas regras sejam retirados e proibidos de aparecer novamente.

Um porta-voz da agência esclareceu que "o foco contínuo do trabalho é aumentar a consciencialização sobre as regras e apoiar os influenciadores a colocar seus anúncios da maneira certa".

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG