Porto

Casa da Música suspende Coro por tempo indeterminado

Casa da Música suspende Coro por tempo indeterminado

Surto de covid-19 atinge 12 coralistas. Artistas e direção divergem em relação ao cumprimento do plano de contingência. Governo admite voltar a proibir a realização de eventos. Decisão tomada este sábado no Conselho de Ministros extraordinário.

A Administração da Fundação Casa da Música (CdM) vai suspender a atividade do Coro por tempo indeterminado. Em causa está um surto de covid-19 que já abrange 12 dos 18 coralistas que participaram no concerto do 20.º aniversário do Remix Ensemble, ocorrido no dia 20 deste mês. O estado clínico de um dos cantores agravou-se esta sexta-feira, apurou o JN, tendo dado entrada na unidade de cuidados intensivos.

Paulo Sarmento e Cunha, diretor-geral da instituição, assegurou ao JN que o plano de contingência da CdM "foi todo cumprido", e que, "inclusivamente, foram tomadas medidas complementares, com recurso a barreiras, extração e circulação de ar".

"O surto está totalmente circunscrito ao Coro. Por isso, vamos suspender a atividade para avaliar que medidas podemos tomar", reiterou o responsável, esclarecendo que durante o período de análise "só haverá concertos com solistas".

Igualmente ouvido pelo JN, um dos membros do Coro que participaram no concerto considera, ao contrário, que "as medidas de proteção não foram cumpridas". E dá exemplos: "Não foi cumprida a distância de segurança, havia nove em vez de sete pessoas em cada fila, e cinco pessoas em vez de quatro em cada camarim." Além disso, continua, "os coralistas são, por força da função - cantar - os únicos que não podem usar máscara". O membro do agrupamento - que diz estar inquieto com a possibilidade de contrair uma infeção pulmonar decorrente do vírus, que lhe diminuirá a capacidade vocal e, por isso, travar a carreira - garante que a Direção da Casa foi alertada para o risco de estarem "constantemente a exceder a lotação de cada espaço durante os ensaios", e que os responsáveis terão respondido com "a eficácia do sistema de ventilação".

Músicos voltam dia 4

As medidas implementadas (determinadas pelo Ministério da Cultura e pela Direção-Geral da Saúde) foram eficazes com os 17 músicos do Remix Ensemble e com os 11 técnicos da CdM, entretanto submetidos, pelas autoridades de saúde, a isolamento profilático e que continuam negativos.

PUB

De acordo com Paulo Sarmento e Cunha, esses trabalhadores retomarão a atividade regular já na próxima quarta-feira, dia 4, ou seja, um dia depois de ser levantada a suspensão das atividades artísticas da Casa. Já os coralistas, lamenta o membro do Coro, que não são funcionários da Casa mas prestadores de serviços, ficarão "sem trabalho nem proteção social".

O elemento do agrupamento lamenta também que a CdM não teste os trabalhadores antes de cada carreira. Sarmento e Cunha confirma que os testes não são política da Casa, mas lembra que a instituição faz desinfeção, mede a temperatura à entrada e mantém o distanciamento.

Uma semana depois da campanha lançada pela Associação de Promotores de Espetáculos Festivais e Eventos (APEFE) - #culturaésegura -, que apela ao público que frequente museus e espetáculos, o Governo deu um passo atrás, tendo ontem admitido, depois das reuniões de António Costa com os partidos e os parceiros sociais, a possibilidade de voltar a proibir a realização de eventos. A decisão será tomada hoje no Conselho de Ministros extraordinário.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG