Literatura

Cátedra Lídia Jorge criada na Universidade de Massachussets inaugurada em abril

Cátedra Lídia Jorge criada na Universidade de Massachussets inaugurada em abril

A Cátedra Lídia Jorge criada na Universidade de Massachussets (UMass Amherst), nos Estados Unidos, vai ser oficialmente inaugurada no dia 5 de abril, com um colóquio dedicado à sua ficção pós-revolução, que contará com a presença da escritora.

O anúncio foi feito pela UMass Amherst, que na sua página de Internet anuncia que o departamento de Estudos de Espanhol e Português vai inaugurar a Cátedra Lídia Jorge em Estudos Portugueses com uma palestra intitulada "Lídia Jorge's Fiction and the Promise of Democracy" ("a ficção de Lídia Jorge e a Promessa de Democracia"), proferida por Ana Paula Ferreira, professora de Estudos Portugueses na Universidade de Minnesota.

A cerimónia contará com a presença da escritora, naquela que será a sua primeira visita à UMass Amherst.

A UMass Amherst destaca que Lídia Jorge é um dos escritores mais representativos da geração pós-revolução em Portugal, e que os seus livros (ficção, teatro, literatura infantil, ensaio e poesia) ganharam reconhecimento internacional e foram traduzidos para mais de vinte línguas e publicados em diversos países.

A autora de "Os memoráveis" recebeu vários prémios literários, entre os quais o Prémio FIL de literatura em Línguas Românicas em 2020, de Guadalajara, um dos mais importantes da América Latina.

O tema da mulher e da sua solidão é uma preocupação central da obra de Lídia Jorge, como está patente nos romances "Notícia da Cidade Silvestre" e "A Costa dos Murmúrios", por exemplo.

"O Dia dos Prodígios", "O Vento Assobiando nas Gruas", "Estuário", "A instrumentalina", "Em todos os sentidos" e "O jardim sem limites" são outras das obras que assina.

PUB

Ana Paula Ferreira tem escrito extensivamente sobre mulheres escritoras portuguesas, feminismos e colonialismo/pós-colonialismo.

Desde meados da década de 1990, publicou artigos e editou uma coleção de ensaios sobre a ficção de Lídia Jorge, desenvolvendo simultaneamente um projeto sobre a ligação esquecida entre as mulheres portuguesas e o império tardio.

A Cátedra Lídia Jorge em Estudos Portugueses foi uma das três recentes cátedras de língua e cultura portuguesa criadas nos Estados Unidos, cuja formalização ocorreu em novembro do ano passado, em Lisboa, com a assinatura de protocolos entre o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e quatro universidades norte-americanas.

Na altura, o então ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva indicou que, com estas três novas cátedras, se estendia a 20 universidades norte-americanas a presença dos estudos portugueses.

As outras duas cátedras criadas na mesma altura foram a Cátedra Três Marias (Universidade de Rutgers New Brunswick) e a Cátedra de Língua e Cultura Portuguesa (Universidades do Utah e Brigham Young).

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG