Música

Os bastidores de "VIBRA", o novo disco de JP Coimbra gravado em espaços improváveis do Porto

Os bastidores de "VIBRA", o novo disco de JP Coimbra gravado em espaços improváveis do Porto

É um verdadeiro "retrato sonoro" de vários locais do Porto, num processo de criação gravado pelo realizador Vasco Mendes que nascerá, em formato de documentário, no início de 2021. "VIBRA", o novo disco de JP Coimbra, vai ser apresentado em concerto no próximo mês mas o JN teve acesso aos bastidores do álbum.

O novo disco de JP Coimbra, "VIBRA", vai ser apresentado a 17 de dezembro, pelas 19 horas, na Casa da Música, mas o JN revela agora, em exclusivo, os bastidores do trabalho.

"É música maioritariamente instrumental feita com extrema liberdade, sem pensar em formatos ou condicionantes", descreve o músico e compositor português, realçando que procura "em cada faixa construir um bolo sonoro coerente, repleto de referências que vão da música eletrónica à clássica."

Mas será que "VIBRA" pode ser catalogado como "Modern Classic?" JP Coimbra não rejeita por inteiro essa categorização, embora reconheça que "toda a música é difícil de catalogar".

"É algo completamente abstrato. Mais abstrato que a pintura por exemplo. No caso deste tema, não é uma canção mas tem uma narrativa, não tem uma voz mas tem instrumentos que transportam as melodias... E depois, existem elementos que vou buscar à música clássica, à eletrónica e que tento conjugar num bolo sonoro que seja coerente", descreve.

O projeto foi gravado na Casa da Música do Porto, na estação de metro do Marquês, na Fundação de Serralves e no rio subterrâneo "Rio de Vila", por baixo da Rua Mouzinho da Silveira.

PUB

"From Afar" é o single de avanço do disco, tendo surgido "da própria introdução do tema que foi feita com o silenciador que os pianos verticais trazem".

"Esse silenciador tem um feltro que abafa o som para podermos tocar em casa sem incomodar os vizinhos. Mas eu gosto muito desse som. Escolhi este single como primeira amostra do disco porque é representativo da minha ideia de agregar vários géneros musicais num só tema. Foi a partir dele que percebi que tinha encontrado uma linguagem e, que essa linguagem me iria permitir construir todo um disco", explicou o músico.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG