Arouca - Braga

Juventude e qualidade em goleada categórica

Juventude e qualidade em goleada categórica

Vitinha completou um hat-trick na primeira meia hora. Carvalhal deu oportunidade a muitos jovens e viu Roger, de 16 anos, bisar na reta final

Não houve Ricardo Horta, Galeno ou Abel Ruiz, mas Vitinha e companhia deram conta do recado em Arouca. O jovem goleador bracarense resolveu cedo a questão do vencedor do encontro e abriu caminho a uma goleada das antigas, para a qual também muito contribuíram Iuri Medeiros, um tratado com a bola, e o menino Roger, que bisou.

Num jogo marcado pelas várias ausências em ambas as equipas, um arranque demolidor do Braga acabaria por ser fundamental para o desfecho do encontro. Com Falé, de 17 anos, em estreia no ataque, os arsenalistas voltaram a ter em Vitinha o seu farol. O jovem ponta de lança completou um "hat-trick" em apenas 26 minutos, uma contagem iniciada com um golo feliz, a meias com Yan Couto, ao qual se seguiu uma finalização oportuna, na recarga a uma defesa incompleta de Victor Braga, e um remate colocado, a passe de Iuri Medeiros, na melhor jogada de todo o primeiro tempo.

Quando deu por si, o Arouca, apático sem a bola e pouco esclarecido quando a recuperava, voltava a ver-se numa situação delicada no seu estádio, depois do descalabro frente ao Vizela, há duas jornadas. Os primeiros momentos de inconformismo foram dados em cima do intervalo, em dois remates de longe, de André Silva e Quaresma, que passaram perto do poste.

Os sinais de resposta do Arouca ainda ecoaram no arranque do segundo tempo, quando Bukia perdeu uma boa oportunidade. Só que, tal como na etapa inicial, tudo se voltou a desmoronar num curto espaço de tempo. Um penálti convertido por Iuri Medeiros abriu caminho a um verdadeiro descalabro no lado arouquense, ao qual o miúdo Roger, lançado ao lado do estreante Dinis Pinto, deu expressão com dois golos consecutivos. Com o jogo mais do que resolvido, ainda houve tempo para estrear Schurrle no Braga. Carvalhal bem disse que iria ser recordado como o treinador que mais jovens lançou no clube.

Mais: Três golos em 26 minutos fizeram de Vitinha o homem do jogo. Iuri Medeiros marcou e assistiu para dois golos. Roger entrou a tempo de bisar

PUB

Menos: Passividade defensiva do Arouca no arranque do jogo, com consequências severas no resultado. Eugeni muito apagado no regresso à titularidade.

Árbitro: Sem um estilo que deslumbre, conduziu o jogo sem grandes oscilações. Demorou muito a validar o 2-0 e contou com o VAR no penálti sobre Vitinha.

Veja o resumo do jogo:

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG