Risco

Supervisão pede a bancos europeus que aumentem vigilância a ciberataques

Supervisão pede a bancos europeus que aumentem vigilância a ciberataques

O sistema de supervisão bancária europeu pediu aos bancos que aumentem a vigilância contra os riscos de ataques cibernéticos no contexto da escalada da crise russo-ucraniana, revelou o governador do Banco de França, François Villeroy de Galhau.

"Obviamente, estamos a monitorizar muito de perto os desenvolvimentos geopolíticos e as possíveis implicações económicas e financeiras", disse o responsável, na abertura do seminário Eurofi, organizado, em Paris, como parte da presidência francesa da União Europeia.

Segundo Villeroy de Galhau, "a exposição direta das instituições financeiras francesas à Rússia continua limitada, mas o MUS [Mecanismo Único de Supervisão] pediu a todos os bancos europeus que reforcem sua vigilância diante dos riscos cibernéticos".

O MUS, que supervisiona o sistema bancário europeu, é composto pelo Banco Central Europeu e pelas autoridades nacionais de supervisão bancária dos países participantes.

As consequências "mais indiretas" da crise russo-ucraniana sobre a inflação e o crescimento serão objeto de uma reunião do Conselho de Governadores em março, disse o governador do Banco de França.

Esta reunião será baseada "nos factos", acrescentou, sublinhando que "flexibilidade" deve ser a palavra de ordem.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG