Desempenho

Galp com lucro de 155 milhões de euros no primeiro trimestre

Galp com lucro de 155 milhões de euros no primeiro trimestre

O "forte desempenho" registado no segmento de produção e exploração impulsionou o EBITDA ajustado em 74% para 869 milhões de euros

O resultado líquido ajustado da Galp disparou para 155 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, um aumento de 129 milhões comparativamente aos 26 milhões registados no período homólogo. Comparativamente ao último trimestre de 2021, o crescimento foi de 25 milhões.

No mesmo período, o EBITDA ajustado (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) registou um acréscimo de 74% para 869 milhões de euros. Um crescimento derivado de um "forte desempenho" no segmento de produção e exploração, cujo EBITDA ajustado foi de 803 milhões de euros, 83% acima dos 438 milhões registados no primeiro trimestre de 2021, em resultado de um aumento de 5% na produção e de 70% no preço do petróleo.

Já no segmento comercial, a EBITDA ajustado caiu 19% para 56 milhões, pressionado pelos preços do gás e da eletricidade na Península Ibérica, cujo aumento "não foi totalmente passado para os clientes finais", explica a Galp.

Na área industrial, o EBITDA foi de 2 milhões, um valor que compara com os seis milhões negativos de há um ano, mas que, no último trimestre de 2021 havia sido positivo em cinco milhões de euros. Diz a empresa que o "forte desempenho Industrial" do primeiro trimestre foi prejudicado por um "desfasamento nas fórmulas de preços para o fornecimento de produtos petrolíferos", que causou um impacto negativo de 90 milhões de euros no período.

Por fim, a área de renováveis e novos negócios "não tem EBITDA ajustado relevante, dado que a maioria das operações não são consolidadas", no entanto, em termos meramente pró-forma o EBITDA das operações de renováveis foi de 30 milhões (contra os 2 milhões registados no período homólogo), em resultado do "aumento da produção e do forte crescimento dos preços" da energia durante os primeiros três meses do ano.

A empresa terminou o primeiro trimestre com uma dívida líquida de 2,392 mil milhões, que compara com os 1,552 mil milhões do mesmo período de 2021.

PUB

Em termos de previsões para 2022, a informação enviada à CMVM mostra que a Galp espera obter um EBITDA ajustado na ordem dos 2,7 mil milhões de euros, dos quais 2,2 mil milhões serão assegurados pela área de produção e exploração petrolífera. O investimento, que no primeiro trimestre foi negativo em 122 milhões, deverá rondar os mil milhões de euros no final do exercício.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG