Estudo

Portugal é o sexto país do Mundo com mais mulheres empresárias

Portugal é o sexto país do Mundo com mais mulheres empresárias

País progrediu no último ano no empreendedorismo feminino, onde ocupa a 22.ª posição, de acordo com o Índice de Mulheres Empreendedoras Mastercard deste ano.

Portugal é o sexto país do Mundo com mais mulheres empresárias (32,2%), depois do Botswana, do Uganda e do Gana, onde a necessidade é motor do empreendedorismo feminino, e também a seguir à Rússia e aos EUA. Mas só nos EUA as mulheres portuguesas encontram equivalência, quer no nível elevado de rendimentos, quer no motor do negócio ser a inovação, explica o estudo Índice de Mulheres Empreendedoras Mastercard.

O empreendedorismo feminino tem vindo a aumentar, nos últimos anos, em Portugal, estando o país na 22.ª posição entre os 65 países analisados. EUA, Nova Zelândia e Canadá são os países onde mais mulheres empreendem porque "são economias em que a capacidade de prosperar em atividades empreendedoras é maior e, também, porque têm um acesso mais fácil a diferentes recursos, desde o conhecimento ao apoio financeiro", como adianta fonte da Mastercard.

Em Portugal, destaca a mesma fonte, apesar de o "país obter um bom resultado num conjunto de indicadores, com o modelo de governação ou a participação das mulheres em trabalhos especializados ou técnicos, existem ainda algumas áreas em que pode progredir face à média global das economias avançadas, nomeadamente no acesso a produtos financeiros, na competitividade ou no ambiente empresarial".

O estudo analisou, ainda, a percentagem de mulheres gestoras de empresas e Portugal mantém uma das melhores posições, com 37,4% de líderes femininas, à frente de países como a Irlanda (35,7%), a França (34,6%) ou a Alemanha (29,7%). A percentagem de mulheres em trabalhos técnicos e especializados em Portugal (52,5%) também é superior à da Dinamarca (50,3%), da Alemanha (52%), da Irlanda (51,4%) ou da Espanha (49,7%). Contudo, no acesso a produtos financeiros por parte das mulheres empresárias, Portugal está em 31.º lugar - bem atrás do Reino Unido (9.º) ou da Alemanha (11.º) -, ficando também para trás no apoio às pequenas e médias empresas (32.º).

"Existe um conjunto de indicadores que nos dão confiança de que a evolução nos próximos anos seja positiva ao nível da igualdade de género nas empresas e no trabalho. Verificamos que existem ainda muitas áreas, já identificadas, em que é fundamental trabalharmos para podermos criar mais oportunidades para as mulheres e contribuirmos decisivamente para reduzirmos as desigualdades de género. Isso passa, naturalmente, por mobilizar recursos para áreas chave como as PME, a inclusão financeira, para políticas que facilitem o acesso das mulheres ao crédito e ao investimento, mas também a recursos para o desenvolvimento de competências, conhecimento e inovação", concluiu Maria Antónia Saldanha, diretora da Mastercard em Portugal.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG