PRÓSTATA DE LÉS A LÉS

Urologistas e Radioterapia em Falta no Hospital de Viseu

Urologistas e Radioterapia em Falta no Hospital de Viseu

Viseu, conhecida pela cidade de Viriato em homenagem ao guerreiro lusitano, procura na atualidade as melhores armas para lutar contra as doenças da próstata.

Na cidade do centro de Portugal, Paulo Rebelo retrata a realidade urológica da região. A prática da urologia nos sistemas público e privado e as quase três décadas de especialidade dão-lhe autoridade e voz esclarecida. Além de exercer no hospital de São Teotónio do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, possui uma clínica própria e ainda faz parte do Hospital CUF. Sobre este combate começa por esclarecer que não faltam armas em Viseu, mas faltam profissionais. "Há acessos aos cuidados de saúde ao nível da urologia porque temos dois hospitais privados e consultórios que respondem às necessidades, mas a nível do Serviço Nacional de Saúde somos apenas quatro profissionais no hospital da cidade". A constatação vem acompanhada pelo descritivo da área alargada de abrangência da unidade hospitalar de São Teotónio e questionado sobre se o serviço público tem capacidade para responder a todos os pedidos, o médico encolhe os ombros. "Tentamos. Tentamos, mas manifestamente somos poucos. Damos o nosso melhor para atender as pessoas, mas é uma população muito grande. É o que temos. Seis urologistas seria o ideal". Depois da triagem, o hospital de São Teotónio consegue consultar os doentes urológicos num período de 60 a 75 dias. Apesar da falta de profissionais, Paulo Rebelo afirma que a nível das assimetrias e comparativamente a outras regiões "não andamos muito longe". No campo dos tratamentos garante que apenas não fazem radioterapia apesar de estar prevista uma unidade para o hospital público. "Já se falou nisso há muito tempo e durante muitas vezes, mas até agora nada. O que fazemos é encaminhar os doentes para o IPO de Coimbra ou para o serviço de radioterapia de Vila Real". Um e outro destino representam para os doentes deslocações e despesas acrescidas. Em ambos os casos, a distância é de cerca de 93 quilómetros e representam mais de uma hora de viagem.

Assista aqui ao quarto episódio

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG