Espinho

Ficou com 370 mil euros após promessas de carros e eletrodomésticos mais baratos

Ficou com 370 mil euros após promessas de carros e eletrodomésticos mais baratos

Um homem de 51 anos, acusado de 30 crimes de burla relacionados com a venda de eletrodomésticos e automóveis, começou a ser julgado, na manhã desta quarta-feira, no Tribunal de Espinho. O arguido, eletricista automóvel, terá enganado 32 pessoas, apropriando-se de mais de 370 mil euros.

Na primeira sessão de julgamento, o arguido recusou prestar depoimento.

De acordo com a acusação do Ministério Público, o arguido, natural da Venezuela, residente em Santa Maria da Feira, dizia que conseguia obter eletrodomésticos e, principalmente, automóveis usados, a preços mais baixos do que os normais, tendo convencido os lesados a entregarem-lhe as quantias monetárias que solicitou em troca dessas vendas, que nunca se chegaram a realizar.

Os contactos eram feitos numa oficina automóvel que o arguido tinha em Espinho. O homem agora em julgamento usava a relação com a clientela para dizer que dispunha de contactos numa leiloeira e em stands, conseguindo preços baixos, e apresentava listas de viaturas e outros bens, alegadamente disponíveis.

Recebia depois os pagamentos em forma de "sinal" por parte dos clientes que acabavam por não ver concretizado o negócio. Depois de recebido o dinheiro, deixava de responder aos pedidos de contactos posteriores feitos pelos clientes, versão confirmada pela testemunha, um dos lesados, na manhã de hoje.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG