Porto

Marco "Orelhas" apresentou-se na PJ e saiu em liberdade

Marco "Orelhas" apresentou-se na PJ e saiu em liberdade

Elemento dos Super Dragões recusou prestar declarações sobre o homicídio de Igor Silva. Foi constituído arguido apenas por ofensas à integridade física

Marco "Orelhas", pai do homicida confesso de Igor Silva, durante a celebração da festa do F.C. Porto, apresentou-se na manhã desta segunda-feira na Polícia Judiciária (PJ) do Porto. O conhecido elemento da claque dos Super Dragões não prestou declarações sobre os factos ocorridos na Alameda do Dragão e, cerca de uma hora depois, saiu em liberdade. Está apenas constituído arguido pelo crime de ofensas à integridade física.

Tal como o JN vinha referindo, nunca houve um mandado de detenção emitido em nome de Marco "Orelhas". As suspeitas da PJ apontam, somente, para a participação do adepto portista nalgumas das agressões que aconteceram no dia e noite em que o F.C. Porto se sagrou campeão nacional de futebol. E era unicamente pelo crime de ofensas à integridade física que os inspetores queriam interrogar o pai do jovem que confessou ter esfaqueado Igor Silva.

No entanto, a defesa de Marco "Orelhas" decidiu não esperar pela notificação judicial e preferiu levá-lo, esta segunda-feira, à PJ no Porto. A permanência de Marco "Orelhas" nas instalações policiais foi curta, uma vez que este recusou prestar declarações sobre o sucedido na madrugada de 14 de maio. Neste contexto, foi constituído arguido pelo crime de ofensas à integridade física e saiu em liberdade.

A investigação irá continuar e, sabe o JN, outras pessoas envolvidas nas agressões que terminaram com a morte de Igor Silva deverão ser constituídas arguidas brevemente.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG