Exclusivo

Rio Tejo corre tóxico até Vila Velha de Ródão

Rio Tejo corre tóxico até Vila Velha de Ródão

Cianobactérias e plantas invasoras, que chegam de Espanha, põem fauna em perigo. Ambientalistas preocupados com caudal. BE quer explicações do ministro.

Quem vier de Mação pode atravessar o Tejo quase a pé, devido ao fraco caudal que se acentua há meses. Agora, para além de correr como um ribeiro, o rio mostra-se, no concelho ao lado, na barragem de Fratel, Vila Velha de Ródão, com a cor verde devido a algas tóxicas (cianobactérias) e plantas invasoras que vêm de Espanha, concretamente da albufeira de Cedillo e da barragem de Alcântara. O risco é que a contaminação se estenda e ponha em causa a fauna.

O movimento proTejo denunciou que, já no passado dia 14, a Agência Portuguesa do Ambiente tinha identificado as algas em Fratel, avisando para contaminação maior. Na semana passada, o grupo parlamentar do BE questionou o ministro do Ambiente e da Ação Climática sobre se o Governo vai aplicar ações concretas ao seu congénere espanhol para impedir que a má gestão dos caudais do rio Tejo e o excesso de nutrientes na água possam continuar a provocar "blooms" de cianobactérias no Tejo e afluentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG