Évora

Mudança de cadeiras na Saúde do Alentejo causa apreensão

Mudança de cadeiras na Saúde do Alentejo causa apreensão

Presidente do Hospital de Évora vai liderar a ARS e fala-se no responsável do Lar de Reguengos para a substituir.

A presidente do Hospital de Évora, Maria Filomena Mendes, é a nova presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, substituindo no cargo José Robalo, cujo mandato já tinha terminado. A vaga na unidade hospitalar está por preencher e o nome de José Calixto, ex-presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz e do lar onde morreram 18 pessoas num surto de covid-19 no verão passado, tem sido dos mais falados, segundo apurou o JN junto de várias fontes hospitalares.

O nome de José Calixto para liderar o Hospital de Évora tem causado alguma perplexidade e apreensão, já que o ex-autarca de Reguengos de Monsaraz, esteve envolvido recentemente em duas polémicas relacionadas com Saúde: o caso do lar de Reguengos de Monsaraz, sobre o qual o Ministério Público abriu um inquérito, e o episódio da vacinação do autarca e presidente do lar, em janeiro deste ano, alegadamente sem os critérios de elegibilidade.

Depois de três mandatos à frente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, José Calixto foi a escolha do PS para concorrer à Autarquia de Évora, tendo perdido contra o candidato reeleito da CDU.

Ao JN, José Calixto afirmou desconhecer "por completo" uma eventual nomeação para o Hospital de Évora. Porém, este é um nome que tem sido ventilado há alguns dias para ocupar o lugar.

Questionado sobre as mudanças nas estruturas de Saúde no Alentejo, o Ministério da Saúde confirmou, ao JN, que a nova presidente da ARS Alentejo é a demógrafa e professora universitária Maria Filomena Mendes. Instado a confirmar ou desmentir se José Calixto será o novo presidente do Hospital de Évora, a tutela remeteu-se ao silêncio.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG