Lisboa

Carris quer contratar 118 novos colaboradores e comprar 230 autocarros e 15 elétricos

Carris quer contratar 118 novos colaboradores e comprar 230 autocarros e 15 elétricos

A Carris, empresa de transporte público de Lisboa, prevê contratar 118 novos colaboradores durante este ano e a aquisição de 230 autocarros e 15 elétricos articulados até 2025, anunciou o presidente, Tiago Lopes Farias.

"O plano contempla a contratação de 118 novos colaboradores, dos quais 100 tripulantes, o que significa motoristas ou guarda-freios, assim como 18 colaboradores nas áreas corporativas e oficinais, o que deverá fazer com que a empresa termine o ano de 2022 com cerca de 2.700 colaboradores", afirmou o presidente da Carris.

Tiago Lopes Farias apresentou o plano de atividades da empresa de transporte público no âmbito de uma audição sobre o orçamento municipal para 2022, realizada por videoconferência, na sexta-feira à noite, com os deputados da Assembleia Municipal de Lisboa.

Complementarmente aos recursos humanos, a Carris, empresa que é gerida pelo município de Lisboa, pretende investir na renovação e ampliação da frota, com a aquisição de 230 autocarros e 15 elétricos articulados entre 2022-2025.

"Dos 230 autocarros, 120 serão autocarros 'standard' 100% elétricos", apontou Tiago Lopes Farias, referindo esses só terão impacto em 2023-2025, assim como 30 autocarros 'standard' a gás natural, sete autocarros 'standard' a hidrogénio e seis autocarros minis 100% elétricos.

Os processos de aquisição com impacto durante este ano incluem 43 autocarros 'standard' a gás natural e 24 autocarros articulados a Gás Natural Comprimido (GNC), segundo o plano de atividades da empresa.

"São 130 milhões de euros de investimento acumulado em frota", revelou o presidente da Carris, referindo que são 90 milhões de euros para a compra de autocarros e "cerca de 40 milhões de euros na aquisição de 15 elétricos articulados, que se estima começarem a chegar em 2023 e, depois, a grande maioria ao longo de 2024".

PUB

Os três pilares estratégicos da empresa passam por promover um serviço muito focado no cliente, modernizar e qualificar os recursos humanos e as infraestruturas, e o aumento da eficiência operacional e da sustentabilidade, em particular da sustentabilidade ambiental, com a descarbonização e a redução das emissões de poluentes por parte de toda a atividade da Carris.

"Queremos fazer uma expansão progressiva e um caminho progressivo de descarbonização e de redução das emissões de poluentes", realçou o presidente.

O plano global de investimento da Carris para o quadriénio 2022-2025 aponta para "cerca de 195 milhões de euros", em que "mais de 60%" se destina à aquisição de frota, indicou Tiago Lopes Farias, destacando ainda os gastos na "construção e remodelação dos seus edifícios, na área das tecnologias de informação que permitam à empresa chegar, melhorar o seu desempenho, a sua eficiência e a sua sustentabilidade ao longo dos próximos anos".

"Naturalmente que com todo este investimento é expectativa da empresa um crescimento na procura", reforçou o responsável, explicando que o impacto da pandemia de covid-19 que se sentiu nos últimos dois anos continuará a sentir-se este ano.

O presidente da Carris expôs que a dinâmica crescente de procura atingiu perto dos 140 milhões de passageiros transportados no ano de 2019 e, depois, houve "uma quebra de menos 60 milhões de passageiros perdidos em 2020, mas a estimativa é que essa recuperação irá progredir com um aumento acentuado de passageiros para o ano de 2022, crescendo depois para 2023 e recuperando os números pré-pandemia já perto do final ou início de 2024".

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG