Centro Histórico

"Aflição" com incêndio num prédio em Gaia

"Aflição" com incêndio num prédio em Gaia

Um incêndio deflagrou, esta quinta-feira de manhã, num prédio com 17 pessoas, situado na Rua Luís de Camões, em Gaia.

Erika Conz, 45 anos, que vive naquele imóvel com "17 estúdios" há seis meses, não ganhou para o susto: "Estava a dormir e acordei porque o alarme disparou. Mas como já aconteceram outros falsos alarmes, liguei para o proprietário do edifício que me confirmou que havia mesmo fogo".

Em "estado de choque", Erika contou ao JN que acabou por sair para a rua "ainda em pijama". "Havia muito fumo e quando passei na entrada vi chamas a saírem da casa das máquinas, descreveu a moradora, que viveu "momentos de aflição".

Foi precisamente na casa das máquinas que terá começado o fogo, e logo foi criado um perímetro de segurança naquela artéria do centro histórico de Gaia, com sentido ascendente.

O incêndio acabou circunscrito ao rés do chão e ao primeiro andar do edifício, com três pisos. Todavia, o prédio ficou inabitável.

De acordo com José Viana, comandante interino dos Sapadores de Gaia, "a principal preocupação foi fazer o reconhecimento do local a ver se ainda estavam vítimas dentro do edifício".

Na altura, só não era conhecido o paradeiro do morador do estúdio 17, mas depois de um telefonema do proprietário ficou a perceber-se que já tinha saído, encontrando-se a trabalhar.

PUB

Depois, "a segunda preocupação" dos bombeiros foi que as chamas não se propagassem aos imóveis contíguos. É que apesar do prédio ter sido remodelado recentemente, é de construção antiga.

O incêndio foi dado como dominado às 9.40 horas, não havendo vítimas a registar.

No socorro estiveram 40 operacionais dos Sapadores de Gaia e dos Bombeiros Voluntários de Coimbrões. O INEM e a PSP também estiveram no local.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG