Gaia

Uniões de freguesias deliberam reunir com população para decidir sobre desagregação

Uniões de freguesias deliberam reunir com população para decidir sobre desagregação

Em todas as uniões de freguesias de Gaia, criadas em 2013, o resultado das assembleias de sexta-feira, à noite, foi igual: aprovação, por unanimidade, da proposta de auscultação da população, tendo em vista a desagregação.

"Será agora aberto esse período, para ouvir as pessoas. Serão feitas reuniões descentralizadas para saber se querem que continue tudo na mesma ou preferem a desagregação", adiantou o vereador Dário Silva, que está a seguir este processo e não excluiu a "hipótese de ser realizado um referendo".

"Tudo será explicado, incluindo que os atuais presidentes das juntas não serão recandidatos por limite de mandatos, à exceção de Alexandra Amaro, que só recentemente assumiu a a liderança em Mafamude/Vilar do Paraíso [em março, João Paulo Correia, o anterior presidente, foi nomeado secretário do Estado da Juventude e do Desporto]", referiu.

São sete as uniões de freguesias gaienses que poderão ser desagregadas: Gulpilhares/Valadares, Serzedo/Perosinho, Grijó/Sermonde, Santa Marinha/Afurada, Pedroso/Seixezelo, Sandim/Olival/Lever/Crestuma e Mafamude/Vilar do Paraíso.

Segundo o vereador Dário Silva, até setembro as assembleias das uniões de freguesias têm de votar sobre se avançam para a desagregação. Depois, será a vez da Assembleia Municipal proceder a uma segunda votação, antes da documentação ser enviada para a Assembleia da República.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG