Pandemia

Coreia do Sul com recorde de 621 mil novos casos de covid-19

Coreia do Sul com recorde de 621 mil novos casos de covid-19

A Coreia do Sul quebrou, esta quinta-feira, um novo recorde de infeções por covid-19, registando mais de 621 mil casos, num momento em que as autoridades consideram que o país está a atingir o pico da vaga causada pela variante ómicron.

As autoridades de saúde sul-coreanas disseram que foram detetados 621.328 casos na quarta-feira, dos quais apenas 62 eram de pessoas que chegaram do exterior.

O número representa um salto de 55% em relação aos dados do dia anterior e de 120% em relação aos de há uma semana.

As autoridades anunciaram também um número recorde de mortes diárias ligadas à covid-19, 429, embora o número de pessoas com sintomas moderados a graves tenha caído para 1159, menos 100 do que no dia anterior.

O Ministério da Saúde sul-coreano disse que considera que o pico da vaga atual, causada pela variante ómicron, será atingido esta semana ou na próxima.

O primeiro-ministro, Kim Boo-kyum, solicitou a revisão dos protocolos para reclassificar o covid-19 como uma doença menos grave.

Isso permitiria mais agilidade aos serviços de saúde para combater um número crescente de positivos com sintomas leves ou assintomáticos.

PUB

As autoridades têm vindo a flexibilizar gradualmente as restrições em vigor.

Está agendada para sexta-feira uma reunião para decidir sobre a prorrogação ou flexibilização das principais medidas, que incluem o encerramento obrigatório dos hotéis às 23:00 e um máximo de seis pessoas em reuniões privadas.

O país asiático, onde 86,6% da população tem esquema vacinal duplo completo e 62,8% uma dose de reforço, registou desde o início da pandemia cerca de 8,25 milhões de infeções e pouco mais de 11.400 mortes.

A covid-19 provocou pelo menos 6.011.769 mortos em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG