Açores

Deputado do Chega deixa "tudo em aberto" para viabilizar Orçamento no Açores

Deputado do Chega deixa "tudo em aberto" para viabilizar Orçamento no Açores

Afinal, o Chega ainda não decidiu o sentido de voto quanto ao Orçamento Regional para 2022, nos Açores. "Está tudo em aberto", anunciou, esta sexta-feira, o deputado do partido no arquipélago, José Pacheco, exigindo um novo acordo parlamentar. A decisão será anunciada quarta-feira.

O Governo Regional dos Açores já deu garantias ao Chega de cumprimento de exigências do partido com vista à viabilização do Orçamento para 2022. Mas não satisfez totalmente o partido de André Ventura, que exige um novo acordo parlamentar, com "metas temporais".

"Está tudo em aberto", anunciou, esta sexta-feira, o deputado regional do Chega, José Pacheco, que prometera revelar o sentido de voto ao Orçamento Regional para 2022 mas, afinal, só vai tomar uma decisão final na quarta-feira, ao final do dia.

Segundo o deputado regional do Chega, o Governo Regional já deu quatro garantias: o Executivo será reformulado, no sentido do seu emagrecimento; será feito um plano de redução do endividamento da região; será reforçada a fiscalização ao Rendimento Social de Inserção (RSI); e, até dezembro, estará a funcionar um gabinete anticorrupção.

Mas José Pacheco quer mais, apesar de reconhecer os sinais de diálogo. Exige garantias de que não haverá mais injeção de capitais públicos na SATA e, mais do que isso: um novo acordo de apoio parlamentar ao Governo de José Bolieiro.

"O acordo foi rasgado. É demasiado vago. O acordo será revisto", anunciou o deputado regional do Chega, considerando que "o acordo tem que ser mais objetivo, tem que ter metas temporais". Só assim, José Pacheco admite viabilizar o próximo Orçamento Regional dos Açores. "As negociações ainda estão a decorrer. Nada está fechado", declarou, recusando antecipar a decisão que apenas será revelada na quarta-feira. "Esta é uma última oportunidade", avisou, apenas.

PUB

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG