PSD

Luís Montenegro dita "princípio do fim" da hegemonia do PS

Luís Montenegro dita "princípio do fim" da hegemonia do PS

Luís Montenegro foi eleito líder do PSD com 72,5% dos votos contra 27,5% de Jorge Moreira da Silva.

Luís Montenegro considerou "expressivo" o seu resultado, por ter sido o maior alcançado em diretas disputadas e por representar mais votos do que Rui Rio teve nas últimas duas eleições internas. O que fez o líder eleito do PSD desvalorizar a abstenção de 39,5%. E garantir que, este sábado, foi dado um "sinal de vitória", que será "o princípio do fim da hegemonia do PS em Portugal", e que o partido saiu unido e coeso.

Com 19 225 votos, Montenegro teve mais 373 votos do que Rui Rio nas diretas de 27 de novembro passado e mais 2 086 do que o obtido pelo líder em funções nas eleições de 2020, em que derrotou precisamente Montenegro, numa inédita segunda volta.

"Este resultado tão expressivo é um sinal de vitória", considerou o 19.º líder do PSD, garantido que revela que finalmente existe "união e coesão dentro do PSD". A primeira prova será dada com o aproveitamento do "talento" de Moreira da Silva e dos seus apoiantes, embora Luís Montenegro não tenha dito como. A segunda será na forma "à moda de homens bons" com que será feita a transição com Rui Rio, que abandona a liderança no congresso de 1 a 3 de julho, no Porto. "O meu futuro político acabou aqui. Ponto final parágrafo", disse Rui Rio, ao votar. À noite, falou com Montenegro - revelou o vencedor das diretas - para começar a tratar da transição.

"O dia de hoje vai ficar marcado como sendo o princípio do fim da hegemonia do PS em Portugal", garantiu Luís Montenegro, em Espinho, desvalorizando a abstenção que atingiu uns históricos 39,5% e preferindo olhar para o facto de ter ganho em todos os 23 círculos eleitorais (o resultado mais expressivo foi em Santarém, com 88,89%). Montenegro ganhou inclusivamente na terra natal do adversário Moreira da Silva (Famalicão), com 77,05%.
Apesar de considerar que deu arranque a uma onda de vitória, Montenegro admitiu que não vai ser fácil. "Nós sabemos que o caminho vai ser difícil. Sabemos que temos muitos obstáculos para ultrapassar, mas o sinal que sai daqui é de vitória", vincou.

PUB

O vencedor das diretas promete uma oposição "construtiva, exigente, firme mas que vai dar um novo rumo, uma alternativa".

Este sábado, o presidente da República e ex-líder do PSD, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu que uma oposição forte dará "maior exigência ao Governo". Montenegro já agendou para esta semana uma reunião com o líder parlamentar, Paulo Mota Pinto. E anunciou que vai ter um gabinete no Parlamento.

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG