Legislativas

Membros das mesas de voto reforçaram vacina para atacar receios

Membros das mesas de voto reforçaram vacina para atacar receios

Mais de duas centenas de membros de mesas de voto para as legislativas e funcionários das juntas que vão participar no processo já tinham, a meio desta manhã de sábado, tomado a dose de reforço da vacina conta a covid-19 no Pavilhão Multiusos de Gondomar. Os receios persistem, sobretudo quando lhes falta informação sobre o voto dos isolados e infetados, mas garantem não desistir, embora com cuidados redobrados. Enquanto isso, as juntas procuram resolver a falta de pessoal para as mesas, cujas desistências nos próximos dias ameaçam complicar o processo.

A vacinação dos membros das mesas e funcionários continua domingo, tal como para as forças de socorro e segurança e agentes de proteção civil, em regime de casa aberta como noticiou o JN, bem como os professores e pessoal não docente do Ensino Superior. No caso do Pavilhão Multiusos de Gondomar é até às 14.30 horas. Na contabilidade deste sábado, por voltas das 16 horas, ainda não era possível separar o número de membros de mesa e de juntas que foram vacinados dos restantes utentes que estiveram no pavilhão. Mas, no total, acolheu 850 pessoas.

À volta de 90 mil pessoas são este fim de semana chamadas a ser vacinadas com a dose de reforço contra a covid-19, por irem integrar as 16400 mesas de voto nas legislativas ou serem funcionários das juntas. No caso de Gondomar, explicou o presidente da Câmara, Marco Martins, são 1070 pessoas. Algumas, admitiu, já foram vacinadas dentro de outros regimes e não entram neste processo do fim de semana. No total serão 200 mesas no concelho.

Desde as 8.30 horas até às 11 horas, já tinham aderido mais de 200 elementos das mesas e juntas, cerca de metade dos utentes que se dirigiram ao pavilhão para serem vacinados, alguns inclusive para tomar a sua primeira dose.

O autarca revelou-se preocupado com as inúmeras desistências que estão a a ser comunicadas às juntas, temendo grandes dificuldades na formação das mesas quando já se esgotam as bolsas de suplentes.

Nas cadeiras para recuperação após a tomada da dose de reforço, estava o casal Maria dos Anjos Vieira, de 48 anos, e Miguel Vieira, residentes em Zebreiros. A mulher já é repetente nas mesas de voto e o marido faz a sua estreia nestas eleições. Numa união de freguesias grande será também uma oportunidade para conhecerem pessoas novas, explicaram ao JN.

Questionados sobre os riscos devido à pandemia e da participação eleitoral dos confinados ainda por clarificar, disseram acreditar que as condições de segurança estarão reunidas para exercerem as suas funções.

PUB

Outro casal, que mora em Baguim do Monte, também foi vacinado este sábado de manhã. Fabiana Santos, de 34 anos, e Marco Jesus, de 38 anos, vão estar em mesas diferentes, mas no mesmo local do voto.

A pandemia e o voto dos infetados não os levará a desistir, garantem. "Não hesitei na resposta: disse logo que sim", disse Fabiana ao JN, ligada ao PS. Mas admite que vai para a mesa de voto "preocupada", com "mais cuidado" e "outro tipo de material, como luvas".

Ana Rita Aragão Silva, de 28 anos, também é de Baguim mas é investigadora em Aveiro na área da Bioquímica. Vai integrar as mesas de voto pelo PAN. Vai fazer a sua estreia. E conta que aceitou logo. Acredita que a segurança será salvaguardada e sente-se agora mais protegida com a dose de reforço. Além disso, "vai ser bom encontrar caras conhecidas de Baguim do Monte", afirmou Ana Rita, da associação maiata de proteção animal "O Cantinho do Tareco".

Mais Notícias (desktop)

Outros Conteúdos GMG