Exclusivo

Pirotecnia não sabe o que fazer "com tanta pólvora"

Pirotecnia não sabe o que fazer "com tanta pólvora"

Cancelamentos de fogo-de-artifício somam prejuízos no setor. Empresa de Oleiros fala de um milhão de euros, outra de Lamego, que perdeu todos os municípios, em cerca de 80 mil.

O cancelamento dos espetáculos de fogo-de-artifício na passagem de ano deitou por terra a esperança de alguma retoma e receita para as empresas de pirotecnia, sem trabalho há quase dois anos por causa da pandemia. "Desde meio de dezembro que os cancelamentos começaram a chegar uns após os outros, é desolador", desabafa João Paulo Ribeiro, sócio-gerente da Lusopirotecnia, a maior exportadora do setor em Portugal, com sede em Oleiros, distrito de Castelo Branco. Em setembro, a empresa conseguiu "uma produção de um espetáculo para a Walt Disney World, em Orlando, que continua". "Foi uma lufada de fresco e começámos a ficar entusiasmados", continua.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG